Analisando o aumento dos seios? Saiba tudo que precisa aqui!

Os seios são uma parte que chama bastante atenção na mulher. No entanto, algumas se sentem insatisfeitas com o aumento deles ou não se sentem confortável usando certas roupas.

Além disso, muitas querem reconstituir as mamas alteradas a partir das mudanças corporais.

Por isso, existe uma intervenção cirúrgica chamada mamoplastia que tem dos mais diversos tipos e deixará você ter aquele decote dos sonhos. Além disso, você saberá todos os detalhes do procedimento cirúrgico.

O que é a mamoplastia?

Mamoplastia, geralmente, está associada às mulheres que querem ter seios maiores. Popularmente é conhecido como a cirurgia de implante de silicone.

Mas, ela não é só o aumento de seios, como também ela altera e corrige o seu formato, além de ajudar a deixar a região proporcional ao corpo.

Ou seja, ela pode aumentar, reduzir, reparar e até mesmo reconstruir, destinado para pacientes que perderam os seios após a retirada de um tumor de câncer de mama.

Explicaremos com detalhes no próximo tópico.

Quais são os tipos de mamoplastia? 

A Mamoplastia pode fazer as seguintes alterações no seio: 

  •     Aumento de seios utilizando próteses salinas ou de silicone: ideal para as pacientes com seios pequenos ou não se desenvolveram na vida adulta.
  •     Redução das mamas: excesso de mamas podem provocar dor na coluna e causando dores. Assim, a redução é essencial. Além disso, esta é ideal para tamanhos desproporcionais, caídos, sem simetria e flácidos.
  •     Reparação das mamas: ajeita a flacidez e promove a elasticidade da pele através de um lifting na região. Mas também é conhecida como mastopexia.
  •     Reconstrução da mama:  ideal para pacientes que estão lutando contra o câncer de a mama.

Mamoplastia de aumento: como é feita

A seguir, você entenderá o passo a passo completo de como funciona a mamoplastia de aumento, fazendo com que deixe os seus seios mais fartos e prontos para usar decotes por aí.

Próteses de silicone: como escolher

Uma das dúvidas frequentes nas pacientes é saber se existe a prótese perfeita. Os médicos respondem que o certo é escolher não pelo tamanho, mas aquela que fica proporcional com o seu corpo.

Por mais que as pessoas queiram o aumento dos seios para se sentirem bonitas, eles precisam encaixar com a anatomia do corpo para que possa ficar naturais.

Então, o médico e o paciente precisam conversar bastante. Além disso, precisa realizar as medidas do tórax e das mamas durante o exame físico. 

Sem contar que ela pode ter vários formatos, sendo: cônica (para seios projetados para frente e tronco mais estreito), a tradicional redonda (deixa marcado e arredondados) e gota (imita o formato dos seios e fica na parte debaixo da mama, ideal para as cirurgias de reconstrução).

Como é realizado preparo para o procedimento

Após a aplicação da anestesia geral e a aplicação das marcações necessários, o médico realiza uma incisão que pode ser abaixo do seio, na região da axila ou na região da auréola.

Após o corte, os drenos são adicionados para retirar os líquidos que possam ocasionar hematomas na região. Depois, adiciona-se a prótese de silicone. O procedimento leva em torno de três horas.

E antes do procedimento precisa realizar o exame de sangue, parar de fumar, evitar remédios e tomar antibióticos para evitar futuras infecções.

Recuperação: cicatriz da cirurgia e possíveis complicações 

Como mencionamos logo acima, após a cirurgia a paciente não pode fazer esforço e muito menos carregar peso. A recuperação total pode demorar, inclusive, até 1 ano e meio após a cirurgia.

Os médicos, no entanto, argumentam que a cicatrização tem três períodos, sendo o mais delicado é a primeira fase que dura os primeiros 30 dias, onde diminui as dores, clareamento dos cortes em tom avermelhado e uma boa aparência dos seios.

Dos dois meses até o primeiro ano, a vermelhidão muda as cores de vermelho para marrom, clareando a medida que o tempo avança. A terceira fase é quando a cicatriz tem o seu aspecto em definitivo. 

Veja dicas e curiosidades sobre a mamoplastia

Como todo procedimento cirúrgico, a mamoplastia precisa de cuidados e muito estudo para saber se está preparada para a realização do procedimento, se adapta a recuperação e os preparos antes da cirurgia.

 Pode ser realizada estando grávida?

 Você pode fazer uma mamoplastia antes ou depois da gravidez, jamais durante a gravidez, uma vez que neste período há o aumento de hormônios e mudanças corporais para a preparação do bebê e qualquer procedimento de cicatrização pode afetar a vida da mãe e do filho.

Sem contar que durante gravidez e na amamentação fazem com os seios fiquem maiores ou até mesmo caídas. Por isso, é recomendada após a gravidez fazer uma mastopexia. 

Se quer ajeitar os seios antes da gravidez, lembre-se que a forma dos seus seios tem a ver com fatores externos, como a genética, seu peso e outros fenótipos.

Além disso, no período de amamentação é impossível fazer a cirurgia por conta que pode atrapalhar a produção de leite.

O recomendado é esperar seis meses após o desmame e lembrar que ficará 30 dias sem esforço ou movimentar os braços, dificultando os cuidados com o bebê, se não tiver uma grande rede de apoio.

É preciso substituir a prótese de silicone após algum tempo?

Sim, precisa mudar a prótese ao longo do tempo. O motivo para essa troca é porque as próteses possuem prazo de validade. Antigamente, elas precisavam ser trocadas entre 10 a 25 anos. Já as modernas não precisam ser trocadas. Entretanto, os médicos recomendam uma revisão na região a cada 10 anos.

Há riscos do silicone provocar alguma doença?

Dificilmente, há uma complicação nessas cirurgias, no qual as mais comuns tem a seroma e os hematomas. O mais grave pode ser as deficiências, infecção, necrose e, inclusive, embolia.

Agora que você tem uma noção de como funciona a cirurgia de mamoplastia, deixe seu comentário se tem mais alguma dúvida sobre o procedimento. E também deixe o seu comentário se já pensou em colocar próteses de silicone. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *