Medicina estética: a importância de exames e análises clínicas

Para cuidarmos da nossa saúde, é necessário realizarmos exames gerais frequentemente.

Isso vai garantir que tudo está dentro do esperado e detectará a necessidade de tratamentos mais específicos em casos de doenças.

Isso também se aplica em produtos estéticos.

Para que eles sejam inseridos e utilizados no corpo humano sem nenhum tipo de problema, as análises laboratoriais devem ser feitas de tempos em tempos ou antes de algum tratamento específico, inclusive em casos de tratamentos estéticos.

A importância das análises clínicas para tratamentos estéticos

As clínicas de estética, até algum tempo atrás, não se atentavam muito a esse tipo de consideração. Porém, os exames laboratoriais são fundamentais, também, para tratamentos estéticos.

Apesar de alguns dos tratamentos serem simples, eles também podem causar reações específicas em cada corpo. Por isso, realizar a análise com reagentes para laboratório é fundamental.

Esses reagentes para laboratório de analises clinicas atuam em uma amostra específica com o intuito de provocar algum tipo de reação.

Sendo assim, esses testes são realizados em produtos para evitar problemas e danos à saúde. Normalmente, são feitos antes mesmo de inserir o produto no mercado.

Exames físicos

Mas as análises clínicas não devem ser feitas apenas em produtos. Na verdade, é ideal que, antes de qualquer tratamento (seja ele estético ou não), o corpo passe por exames mais profundos para verificar possíveis problemas. Exames de sangue e urina são alguns deles.

Outro tipo de exame necessário é aquele que analisa o tecido da pele principalmente em casos onde as pessoas apresentam alergias comuns e precisarão utilizar cremes e outros produtos.

Dessa forma, é realizado o teste histológico com um equipamento chamado de cassete histológico.

É necessário lembrar que os profissionais de estética também são profissionais da saúde.

Assim, antes de qualquer tipo de aplicação de produto ou tratamento, os exames são obrigatórios. Isso, porque essa atitude zela pela segurança dos pacientes, que buscam melhorias no dia a dia da sua saúde e bem-estar.

Além disso, sem os exames, o resultado pode não ter a eficácia esperada. Assim, os valores gastos serão muito maiores e o cliente não estará satisfeito.

Transplante capilar: como se preparar?

O assunto discutido acima também se aplica à clínica capilar, principalmente quando o assunto é o transplante.

O objetivo do transplante capilar sao paulo, e demais regiões, é realocar folículos capilares para a região calva. Isso faz com que o cabelo volte a crescer naquela determinada área.

Esse é um tipo de tratamento muito indicado para quem sofre de calvície hereditária (também chamada de androgenética).

Muitas pessoas têm buscado a solução para esse problema em clínicas de estética, por meio do transplante. Portanto, a medicina capilar é uma área que cresce cada vez mais.

Muitos profissionais indicam realizar o transplante quando o processo de calvície está estabilizado.

Sendo assim, é necessário que se realize exames para saber como está o nível de testosterona e di-hidrotestosterona no corpo (hormônios masculinos que acabam sendo responsáveis pela calvície).

Mas atenção: calvície não é igual a queda de cabelo. Na verdade, no primeiro caso, é como se os fios diminuíssem e afinassem, ficando como os pelos do corpo. Assim, no processo de transplante, os fios normais são retirados e realocados na área calva, voltando a crescer normalmente.

Assim como qualquer outro tipo de cirurgia, é necessário realizar exames pré-operatórios, como:

  • Hemograma completo;
  • Coagulograma;
  • Sorologias;
  • Eletrocardiograma.

O transplante pode ser feito de duas formas: por uma técnica chamada FUT (transplante de unidade folicular) ou pela técnica chamada de FUE (extração de unidades folicular). Ambas são bem parecidas. O que se altera é a maneira de extração da parte doadora.

Na primeira técnica, é removida uma parte de trás da nuca. Assim, separa-se unidades de até 3 fios para implantar em cada área calva. Já na segunda técnica, os fios são retirados diretamente do couro cabeludo.

Para a realização dessa cirurgia, além dos exames necessários que citamos acima, também é realizado jejum de sólidos e líquidos. Isso, porque há a necessidade de anestesia local e também de sedação.

A demora para o procedimento depende da técnica escolhida. Se for a FUT, a operação pode demorar até 6 horas. Se for a FUE, esse tempo pode chegar a 10 horas.

Independentemente do tipo de procedimento estético escolhido, os exames e a preparação antecedente são necessária para garantir que o corpo esteja preparado para passar pelos tratamentos.

Ao contrário do que alguns pensam, os procedimentos estéticos precisam, sim, de muitos cuidados. Lembre-se disso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *