Mantendo a calma antes dos procedimentos na área da saúde

Muitas pessoas evitam ir a consultas médicas ou realizar exames por causa do medo. Além da ansiedade, de questões relacionadas a claustrofobia, transtornos como a síndrome do pânico estão entre as causas para essa realidade. Segundo especialistas na área, pelo menos 5% dos pacientes deixam de fazer exames ou desistem por causa de pânico.

Diante disso, técnicas de Tratamento para estresse e outras formas de relaxamento surgem como uma possível alternativa para o paciente manter a calma antes de realizar esses procedimentos.

Mas, o que será que causa o medo de um exame? É possível minimizar os efeitos dessas reações? Como lidar com os mesmos sintomas manifestados de diferentes formas de acordo com o perfil de cada paciente?

Entre o medo de realizar um procedimento como Tomografia abdome e pelve com contraste até a ansiedade intensa na espera de um resultado ruim, há uma série de desafios.

No entanto, assim como a medicina pode assustar e causar diversas reações, existem alternativas que podem ajudar no processo inverso. Se você é um profissional da saúde ou é uma pessoa que tem medo de fazer exames e consultas de rotina, esse post é para você. Confira algumas dicas para manter a calma antes dos procedimentos.

Tomografias: é possível vencer o medo?

Enquanto há pessoas que ficam arrepiadas só de pensar em tomar uma dose de uma vacina, outras morrem de pânico ao pensar em procedimentos mais complexos.

A Tomografia abdome e pelve com contraste, por exemplo, é um exame no qual a pessoa deita em uma máquina, consome uma substância à base de iodo oralmente ou venoso e exige alguns esforços.

Esse tipo de exame, com a adição do contraste serve para que o médico consiga avaliar a situação dos tecidos, possíveis alterações nos órgãos ou até mesmo identificar doenças como câncer.

Como é um procedimento complexo, com a adição do contraste que pode alterar o organismo, muitas pessoas desistem de fazer o procedimento por medo do resultado ou do processo.

O mesmo acontece nas situações em que o especialista solicita uma Tomografia cervical. Diante disso, muitas pessoas se perguntam: é possível vencer o medo?

Não existe uma combinação de técnicas exatas, considerando que cada paciente sente medo da sua forma. No entanto, algumas técnicas podem ajudar a pessoa se distrair antes da realização de um exame que detalha tantas características do corpo humano – em imagens tridimensionais:

  • Uma conversa detalhada com os médicos e o profissional que realiza o exame;

  • Acompanhamento psicológico ou terapêutico antes do exame;

  • Ter a companhia de alguém de confiança no local do exame;

  • Visitar o espaço de realização dos exames;

  • Pesquisar sobre os equipamentos que fazem os exames.

Ao tomar todos esses cuidados, os sintomas ansiedade podem ser minimizados. Mas, caso esses cuidados não sejam suficientes para acalmar o paciente antes do procedimento, é interessante avaliar outras alternativas.

Proporcionar um ambiente confortável para a espera da realização desses exames. Investir em uma música ambiente leve, oferecer água e tirar as dúvidas do paciente é uma forma de ajudar. Se mesmo com esses cuidados a pessoa não quiser realizar o exame, talvez um tratamento mais longo possa ter efeitos mais eficazes.

Histórico do paciente: como usar isso para acalmá-lo

Em algum momento da vida, as pessoas passam por uma situação estressante ou um trauma. Querendo ou não, essas experiências podem ser a motivação para tanto receio nos procedimentos que precisam ser realizados.

O estresse pos traumatico, por exemplo, é um distúrbio originado por ansiedade, que causa uma série de sintomas físicos e emocionais na pessoa. Esse transtorno surge quando a pessoa passa por uma situação traumática e, toda vez que a pessoa se recorda do que aconteceu, isso gera sofrimento.

Ou seja, se uma pessoa passa por isso dentro de um ambiente como um hospital, é mais fácil que ela associe o medo de procedimentos ao estresse. Saber desse histórico dos pacientes é fundamental para a equipe de médicos, assistentes sociais, enfermeiros e profissionais dessa rotina consigam lidar com a situação.

Ao ter esse histórico, quem realiza o exame pode ter outras orientações como entender qual a melhor forma de passar por um procedimento e quais as técnicas para distrair a mente e apagar sinais do estresse pos traumatico.

O primeiro passo para vencer o medo e manter a calma na área de saúde é o acolhimento do outro lado. Sem preconceitos e sem julgar os pacientes, a calma é algo gerado com paciência e pode render desdobramentos interessantes. Por isso, técnicas de meditação, caminhada e boas relações sociais podem ser benéficas.

Se precisa manter a calma antes da realização dos exames é interessante expressar isso para o atendente. Agora se trabalha na área a dica é que você continue trabalhando em várias frentes para atender o paciente da melhor forma possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *